'

Cognus Psicologia

Aqui você conhece uma pouco mais sobre a Terapia Cognitivo- comportamental

O Mercador e sua filha

          Eu lhes contarei um caso e vocês deverão dar a solução.

          Há muitos anos, na época em que uma pessoa endividada poderia ser levada à prisão, um mercador londrino teve o azar de dever  uma enorme soma em dinheiro a um agiota. Este, que era velho e feio, encantou-se com a jovem e linda filha do mercador. Propôs, então um acordo.  Disse que cancelaria a dívida do mercador se pudesse se casar com a filha dele.

          Tanto o mercador quanto a sua filha ficaram horrorizados. O esperto agiota propôs, então, que deixassem a decisão a cargo do “destino”. Combinou que colocaria uma pedra preta e outra branca dentro de uma bolsa de dinheiro vazia e a moça deveria retirar uma delas.

          Se retirasse a da bolsa a pedra preta, tornar-se-ia sua esposa e a dívida do pai seria perdoada. Se retirasse a pedra branca, não teria que se casar com ele e, mesmo assim, a dívida seria cancelada. Porém, no caso de se recusar a retirar uma das pedras, seu pai seria atirado na prisão e ela morreria de fome.

          O mercador concordou relutantemente. Eles estavam num caminho cheio de pedras, no jardim do mercador. Enquanto conversavam, o agiota inclinou-se para apanhar as duas pedras e, ao fazê-lo, sem perceber foi visto pela moça, cuja visão estava aguçada pelo pavor. Esta viu que o agiota, disfarçadamente, colocou duas pedras pretas na bolsa. Em seguida, de maneira autoritária, ordenou-lhe que retirasse a pedra que indicaria não só a sua sorte, como também a do seu pai.

Imagine-se naquele caminho, no jardim do mercador. O que faria se fosse a infortunada moça?

 

--

 

          A moça desse conto colocou a mão na bolsa e retirou uma pedra, porém, antes de olhá-la, desajeitadamente deixou-a cair no chão, de maneira a se misturar com outras pedras e então disse:

-Oh, que desastrada sou; mas não tem importância, pois se olharmos dentro da bolsa descobriremos, pela cor da pedra que restou, qual a que escolhi.

          Como a pedra restante evidentemente era preta, ela só poderia ter escolhido a branca, pois o agiota não ousaria revelar  sua falta de honestidade. Dessa forma, a moça transformou uma situação aparentemente impossível noutra bem vantajosa. Ela ficou em melhor situação do que se o agiota tivesse lidado com honestidade pois, em tal caso, ela só teria uma possibilidade de se salvar.