'

Cognus Psicologia

Aqui você conhece uma pouco mais sobre a Terapia Cognitivo- comportamental

Como surgiu a terapia cognitiva comportamental

 

"As origens históricas da terapia cognitiva, datando de 1956, podem ser resumidas como segue. Aaron Beck, na tentativa de fornecer apoio empírico para certas formulações psicodinâmicas de depressão (que Beck achava serem corretas na época), encontrou algumas anomalias - fenômenos inconsistentes com o modelo psicanalítico. Especificamente, a conceitualização psicanalítica (Freud, 1917/1950) afirma que os pacientes deprimidos manifestam hostilidade retrofletida, expressada como 'masoquismo' ou uma 'necessidade de sofrer'. Contudo, em resposta a experiência de sucesso (atribuições de tarefa graduada em um ambiente de laboratório), os pacientes deprimidos pareciam melhorar em vez de resistir a tais experiências (Beck, 1964; Loeb, Beck & Diggory, 1971). Isto levou Beck e seus colegas a novos estudos empíricos e observações clínicas, na tentativa de entender as anormalidade. O eventual resultado foi a reformulação da depressão como um transtorno caracterizado por uma profunda tendência negativa. O conteúdo fenomenal desta tendência incluía expectativas de resultados negativos (conseqüências do comportamento) na esfera pessoal, e uma visão negativa de self, contexto e objetivos. Concomitantemente, foram feitas tentativas de modificar o conteúdo e as distorções cognitivas negativas, resultando em desenvovimento e avaliação de estratégias terapêuticas. Subseqüentemente, o modelo foi aplicado a outros transtornos para testar os limites da nova formulação.

A partir desse resumo capsular, pode-se ver que a teoria cognitiva originou-se de tentativas de testar os princípios teóricos específicos da psicanálise. Quando tal evidência não surgia, outras explicações eram consideradas. Portanto, a terapia cognitiva desde o começo foi impulsionada por interesses teóricos."

 

BECK, Aaron; ALFORD, Brad. O Poder Integrador da Terapia Cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000. p. 23